Seja com uma amiga, o marido ou o terapeuta, conversar com alguém sobre nossos problemas e aflições é um alívio e tanto para o sofrimento, já percebeu? A ciência explica por quê: preocupações e situações angustiantes disparam uma espécie de alarme no cérebro que deixam o corpo e a cabeça tensos, em estado de alerta. Expressar o problema em palavras é uma maneira de desligar esse alarme e ativar o sistema de recompensa do cérebro, que provoca prazer e satisfação e enfraquece a sensação negativa. “Quanto mais fortes os relacionamentos que cultivamos, mais confiantes e preparados ficamos para superar as adversidades e buscar nossos sonhos”, acrescenta a psicóloga Angelita Corrêa, de Vitória.

Cabeça Fresca: Manter a mente aberta para aprender coisa novas é um dos caminhos para cultivar a felicidade, garantem os especialistas.
Acalme sua mente inquieta e estimule novas atitudes:

Use sua mão não dominante: Todo dia, faça alguma tarefa com a mão que não usa no dia a dia: escovar os dentes, segurar o garfo, pentear o cabelo… Isso ensina a ter o que os mestres zen chamam de “mente de principiante”, flexível, livre e sempre pronta para aprender.

Olhe para cima: Não importa se o que vai ver é o teto do escritório, o céu ou a copa de uma árvore. Essa é uma maneira de siar da caixinha que comporta você, seu mundo e suas preocupações e notar várias coisa novas – pássaros, um arco-íris, gente olhando da janela…

Perceba sua impaciência: NO trânsito que travou, na internet lenta, no trabalho que exige tarefas chatas, pare e tente descobrir porque isso deixa você nervoso, com o coração acelerado e as pernas agitadas. “A impaciência rouba nossa vida”. “Quando ela surgir, mergulhe no presente, respirando, ouvindo e sentindo as sensações”.

Como Domar um Elefante – Jan Chozen Bays – Revista Boa Forma

#ficadica
Beijos